25 de set de 2012

CONSELHO ESTADUAL PARA ASSUNTOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA DE SÃO PAULO PEDE SUBSTITUIÇÃO DE TERMINOLOGIA E ALERTA MP DOBRE VIDEO NA WEB CONTRA AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA


24/09/12 19h07

Presidente do CEAPcD pede ao TSE substituição de terminologia e alerta MP sobre video na web contra pessoas com deficiência

Objetivo do ofício ao TSE é parabenizar pela iniciativa de envolver as pessoas com deficiência no processo eleitoral, mas alerta sobre uso correto de terminologia. Ao MP, banda de funk foi denunciada por desrespeitar segmento
Peça publicitária sobre Eleições deve ser readequada

O presidente do Conselho Estadual para Assuntos das Pessoas com Deficiência de São Paulo- CEAPcD, Wanderley Marques de Assis, encaminhou para a Ministra Cármen Lúcia Antunes Rocha, do Tribunal Superior Eleitoral ofício solicitando adequação da campanha institucional do TSE em relação à terminologia empregada nas peças publicitárias (spotsdisponíveis no site do TSE, programas de TV e rádio), substituindo a expressão "pessoa portadora de necessidades especiais" pela expressão"pessoa com deficiência".
Em ofício à Ministra o presidente do Conselho destaca a importância da iniciativa do TSE pela promoção de campanha institucional objetivando a participação da pessoa com deficiência na vida política e criando condições para que ela possa exercer sua cidadania com dignidade e plenitude.
Entretanto, Wanderley Assis destaca a forma correta de uso da terminologia voltada ao segmento. “Cremos que disseminar o emprego da expressão 'pessoa com deficiência' em vez de 'pessoa portadora de necessidades especiais' é uma singela e eficiente ferramenta de conscientização da sociedade em geral, além de exprimir verdadeiro compromisso ético do poder público na implementação e cumprimento de políticas públicas voltadas para as necessidades básicas da pessoa com deficiência, não por força legal, mas por consciência social”, detaca.
A medida visa prestar um serviço de esclarecimento à população e difundir terminologia correta em conformidade com a Convenção da ONU sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e Recomendações da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, divulgadas no Encontro de Gestores Públicos de Comunicação do Estado de São Paulo.

MP é acionado por vídeo preconceituoso e ofensivo
Quem viu não acreditou que seria possível alguém criar uma peça tão absolutamente discriminatória, agressiva e repulsiva contra as pessoas com deficiência. A tentativa de “fazer sucesso” pelo mau-gosto rendeu uma ação junto ao Ministério Público, pela publicação de vídeos na rede “you Tube” de uma banda musical de estilo funk.
Conselho Estadual para Assuntos das Pessoas com Deficiência de São Paulo- CEAPcD apresentou lavratura de representação aos representantes do MP/SP - Ministério Público de São Paulo - requerendo apuração sobre a prática de desrespeito e preconceito nas composições de uma banda musical em diversos vídeos no YouTube, que utiliza termos jocosos, ultrajantes e depreciativos contra as pessoas com deficiência.
O nome da banda será omitido a fim de não darmos publicidade gratuita - mesmo que negativa - a quem comete discriminação e preconceito, mas fica o alerta a quem queira “aparecer a qualquer custo”: estamos de olho!

21 de set de 2012

DIA NACIONAL DE LUTA DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA


DIA NACIONAL DE LUTA DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA
No Encontro Nacional, em 1982 foi instituído O Dia Nacional de Luta das Pessoas Deficientes e em 14 de Julho de 2005 a Lei nº 11.133, assinada pelo VICE–PRESIDENTE DA REPÚBLICA, JOSÉ ALENCAR GOMES DA SILVA, que no exercício do cargo de 
PRESIDENTE DA REPÚBLICA, instituiu o Dia Nacional de Luta da Pessoa Portadora de Deficiência, percebemos que são duas terminologias que não se usa mais por isso mesmo sem saber se houve alteração legal vou chamar de ( Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência ), o dia 21 de setembro foi escolhido pela proximidade com a primavera e o dia da árvore, simbolizando todo vigor da natureza e persistência pela vida, de lá para cá todos os anos nesta data milhares de pessoas no Brasil promovem ações que nos levam a refletir sobre as lutas que tivemos além das que temos e teremos em busca de uma qualidade de vida cada dia melhor para a população do País, é mais uma daquelas datas no nosso calendário que servem para fazermos três perguntinhas básicas: De onde viemos, Onde estamos e Onde queremos chegar ?

O movimento em defesa dos direitos das pessoas com deficiência ao longo dos anos tem conseguido avançar e transpor barreiras que para muitos a alguns anos atrás pareciam intransponíveis mas, graças a pessoas que se dedicaram e lutaram por um ideal hoje podemos celebrar muitas vitorias e conquistas mesmo consciente que ainda a muito por fazer, governos Federal, Estaduais e Municipais contam atualmente com estrutura onde se trabalha especificamente a questão das pessoas com deficiência e muitos deles em consonância com a Convenção Sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência da ONU que alias é uma das nossas maiores conquistas, Conselhos Municipais dos Direitos das Pessoas com Deficiência tem sido criados e fortalecidos no País todo garantindo que o munícipe possa participar ativamente das suas plenárias onde as necessidades das cidades são identificadas e debatidas sempre em busca de solucionar os eventuais problemas que possam surgir por falta de políticas para o seguimento e até mesmo pela execução de políticas equivocadas, os conselhos estaduais procurando trabalharem articulados através do Fórum Brasileiro de Conselhos Estaduais criado justamente para ser um elo de ligação entre todos os conselhos dos estados para que possam entender a realidade dos outros e unidos trabalharem em prol de uma política pensada para o Brasil como um todo, o Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Portadora de Deficiência que vem se esforçando para através de toda esta estrutura anteriormente citada desenvolver ações que se transformem em qualidade de vida a todas as pessoas com deficiência entre elas a Conferência Nacional dos Direitos das Pessoas com Deficiência, entidades que prestam serviços e outras que defendem nossos direitos, muitas delas com grande dificuldade em se manter em funcionamento continuam persistindo e acreditando que a inclusão não é utopia e que vale a pena sonhar e contribuir para que aconteça.

Todos estes órgãos são conduzidos e direcionados por pessoas, na sua grande maioria pessoas que tem alguma ligação com o seguimento das pessoas com deficiência, pessoas que se dedicam voluntariamente em prol de melhorar a vida de quem muitas vezes nem conhecem, são os chamados militantes e o significado da palavra é: ( Militante;  Que ou quem milita, tem atividade, está em exercício: militante da política ); sim, são militantes da política, política de amor ao próximo e por isso se dedicam tanto muitas vezes gastando do próprio bolso para que um dia o País seja mais justo com aqueles que tem algum tipo de deficiência, dedicado e agradecido a estas pessoas que parei hoje para escrever este texto, pessoas maravilhosas e fantásticas sem exagero nenhum, foi para dizer a estas pessoas muito obrigado que parei hoje, dia 21 de setembro DIA NACIONAL DE LUTA DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA, muito obrigado por cada segundo da vida e da LUTA de cada um de vocês, porque se não fosse assim nos não teríamos a resposta de onde viemos, onde estamos e onde queremos chegar ?

Wanderley Marques de Assis
Presidente do Conselho Estadual para Assuntos das Pessoas com Deficiência

17 de set de 2012

SÍNDROME DO ENCARCERAMENTO


Síndrome do encarceramento: mulher vive paralisada há 15 anos.

Christine Waddell tem síndrome do encarceramento há 15 anos e só consegue mexer os olhos, mas luta para viver
Foto: BBC Brasil

A britânica Christine Waddell vive há 15 anos em uma cadeira de rodas, sem conseguir se mover, alimentar-se ou falar por conta própria. Mesmo assim, sua mente continua funcionando normalmente. Waddell é uma vítima da síndrome do encarceramento - uma paralisia dos músculos do corpo em consequência de AVCs (acidentes vasculares cerebrais) ou de um trauma grave no cérebro. Pacientes como Waddell - a qual sofreu um derrame em 1997 - têm controle apenas sobre o movimento dos olhos.

Hoje, Waddell se comunica com o mundo por meio de sua cuidadora, Carol, que lê a lista de números e letras "ditos" pela paciente com seus olhos. Ainda assim, Waddell tem fé em sua recuperação: "acredito em mim. Tudo pode acontecer", diz ela, em entrevista àBBC.
A síndrome do encarceramento ganhou destaque recente na Grã-Bretanha com a história de Tony Nicklinson, vítima da paralisia que pedia na Justiça o direito de morrer com a assistência de médicos. Nicklinson afirmava que sua vida havia se tornado um pesadelo desde que adquirira a síndrome do encarceramento, mas seu pedido de suicídio assistido foi recusado pela Justiça da Grã-Bretanha. O britânico acabou morrendo em agosto.
"Normal"
Waddell defende a causa de Nicklinson, mas afirma que, ao contrário dele, tem vontade de viver. "Acho que ele estava certo quanto ao direito de terminar sua própria vida. Mas é uma questão individual, sobre como cada um se sente. Você se acostuma, então (a condição) já é normal para mim", opina a britânica.
Ela diz que "sempre acreditou" que se recuperaria, sensação reforçada, há oito anos, ao sentir o movimento dos dedos do pé. "Vou me recuperar, porque eu realmente quero." Ainda assim, não esconde o sofrimento causado pela síndrome do encarceramento.
"Antes do meu derrame, eu era uma pessoa cheia de energia. Adorava dar risada", conta. "Lembro-me como se fosse ontem do dia em que tive o derrame. Estava deitada e passei mal. O telefone estava tocando, mas não conseguia enxergar o suficiente para atendê-lo".
Risadas e Facebook
Carol, a cuidadora, explica que a comunicação com Waddell se dá por uma tabela com as letras do alfabeto. A paciente pisca a cada letra de cada linha que ela quer usar para formar uma frase.
E, apesar de não conseguir falar, Waddell consegue rir - algo que ela faz quando Carol revela à reportagem daBBC que a paciente ainda gosta de tomar dois drinques de vodca por semana. Waddell diz também que as redes sociais são uma importante ferramenta para sua comunicação. "Facebook e coisas do tipo melhoraram a minha vida, porque me permitem fazer contato com os meus amigos", relata. FONTE

PALESTRA SOBRE DOENÇAS RARAS


Convidamos todos para participarem do ciclo de palestras sobre doenças raras
que fazem parte do projeto
“Doenças Raras e as Deficiências”
Dia  22 de Setembro  de 2012 - A partir das 8h30
Local: Endereço: Rua Desembargador Francisco Murilo Pinto, 33 - Vila Sta. Luzia -São Jose dos Campos -SP   
9:00  Mesa com a presença do Presidente  do Conselho Estadual para Assuntos da Pessoa com Deficiência Sr Wanderley de Assis e do Núcleo Regional VII do Conselho Estadual para Assuntos da Pessoa com Deficiência .   Apresentação   PROFESSOR OROSCO  MAPA DAS DEFICIENCIA 
9:45 – Dra. Mônica Órfão – Neurologista  de S.J.Campos
Doença de Pompe    
10:45 – Dra Tatiana Cavalleiro Camargo
Medica especialista em Alergia e Imunologia pela UNIFESP
Intervalo
13:00 Workshop com o Dr. Esquindolele  (clow de hospital ) - Operação Conta Gotas
13:15 Michele Moussa – Tema  Porfiria
14:00 Palestra  Angioedema Hereditário Raquel  
14:45 Síndrome de Williams
Psicopedagoda Especialista em Deficiência Intelectual
Vera Alice A.S. Amaral
Realização:
GEDR - Grupo de Estudo de Doenças Raras
CEAPCD - Conselho Estadual para Assuntos da Pessoa com Deficiência
Apoio:
SEDPCD - Secretaria de estado dos direitos das pessoas com deficiência

14 de set de 2012

CURSO MOBILIÁRIO EM PVC

Sabemos que tudo para as pessoas com deficiência é sempre muito caro mesmo não tendo meteria prima ou mão de obra que justifique o preço por isso, estou divulgando o Curso Mobiliário em PVC que esta sendo organizado no PRÓVISÃO.



O profissional se torna apto a confeccionar diversos dispositivos de tecnologia assistiva com um baixo custo.

Graduandos também podem participar! Maiores informações no site www.hospitalprovisao.org.br

ESPECIALISTAS AFIRMAM "Pessoa com deficiência, no Brasil, é não-cidadão’"

O blog Vencer Limites do Estadão publicou uma matéria no dia 11 de setembro de 2012 sobre a situação das pessoas com deficiência no Brasil, onde lideranças do movimento retratam de forma realística a atual situação das pessoas com deficiência no País e fica bem claro a necessidade do movimento se unir através de entidades, conselhos, lideranças, enfim, todos temos que nos unir para mudar este quadro como fez os Estados Unidos e outros países sitados na matéria.

Temos que promover uma reflexão sobre os papeis das entidades, conselhos e governos para que possamos definir um método de trabalho em conjunto onde o maior beneficiado seja a pessoa com deficiência."

----------------------------------------------------------------------------------

Pessoa com deficiência, no Brasil, é não-cidadão’

País não garante a esta população os direitos básicos


“A pessoa com deficiência, no Brasil, vive uma situação de não-cidadão”. Quem afirma é Teresa Costa d’Amaral, superintendente do Instituto Brasileiro dos Direitos da Pessoa com Deficiência (IBDD). Segundo ela, o País não garante a esta população os direitos básicos. Na análise da especialista, ir e vir, possibilidade de locomoção, acesso à escola e ao trabalho são alguns itens como os quais brasileiros com limitações físicas (ou intelectuais) não podem contar.

Semelhante é a avaliação de Moisés Bauer, presidente do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Conade), instituição vinculada à Secretaria Especial dos Direitos Humanos, que responde diretamente à Presidência da República. “Na escala de prioridades do Estado brasileiro, o assunto está lá embaixo. Os investimentos são pulverizados e as ações, maquiadas”. Bauer, de 42 anos, deficiente visual desde os 8, ocupa também o cargo de presidente da Organização Nacional dos Cegos do Brasil. “A ausência de políticas públicas no nosso País cria um cenário de vulnerabilidade e precariedade à pessoa com deficiência”.

Para o psicólogo Danilo Namo, consultor em inclusão de pessoas com deficiência do Instituto Paradigma, o tema não é prioridade para setores como política e infraestrutura. “A situação geral está melhorando, mas é regular. Falta interesse e os estabelecimentos particulares, por exemplo, não percebem a pessoa com deficiência como público específico, que precisa de atendimento especial”. Namo, que perdeu totalmente a visão durante a adolescência, é mestre de psicologia pela PUC e tem doutorado em Educação Especial pela USP.

Omissão - De acordo com Teresa d’Amaral, “falta adaptação nas escolas e faculdades, como a presença de intérpretes de Libras. O resultado só existe mediante pressão ou boa vontade de alguém da instituição”. Ela cita o exemplo de uma aluna deficiente visual que foi impedida de fazer uma prova porque o professor se recusou a aumentar o tamanho da letra para que ela pudesse enxergar as questões e conseguisse responder. “Isso é uma questão de respeito à cidadania”, afirma a superintendente do IBDD.
Em outro caso, um paciente que sofria de distrofia muscular ganhou na Justiça o direito de receber um respirador. “Nós também pedimos uma cama hospitalar e uma cadeira de rodas, mas o juíz negou e, desta forma, impediu que essa pessoa pudesse sair de casa”, lembra. Teresa afirma que os governos Muncipal, Estadual e Federal são omissos, uma vez que o cidadão precisa ir à Justiça para ter seus direitos básicos garantidos. “O País perde em qualidade de participantes da cidadania e estas pessoas acabam pesando financeiramente ao Estado”.
Diante deste quadro, Moisés Bauer defende uma legislação mais direta. “Faltam aperfeiçoamentos na lei e punições ao gestor público. A acessibilidade se torna possível para quem tem dinheiro, mas o cidadão sem condições financeiras não consegue quase nada”, observa o presidente do Conade.
Danilo Namo afirma que a estrutura jurídica para o setor “é boa, completa, abrangente e competente”. Segundo o consultor do Instituto Paradigma, “no papel, todos os direitos da pessoa com deficiência estão resguardados, mas ainda falta atenção”. Namo ressalta ainda que “o espírito solidário do brasileiro é algo que nos diferencia”.
Exemplo - A Lei 7.853, de 1989, já foi considerada, por seu conteúdo, a mais inclusiva das américas. Nela, o Estado assume responsabilidade pela pessoa com deficiência. Em países como os EUA, a partir deste mesmo ano, houve uma transformação, que começou nos pós-guerra do Vietnã, quando as instituições de defesa se uniram e trabalharam em conjunto para garantir não só que a lei fosse efetivamente executada, mas também para fazer valer os direitos das pessoas com deficiência. Canadá e Inglaterra também têm bons exemplos.
No Brasil, o tema está ainda em uma sub-pauta e começou a ser realmente debatido somente nos últimos dez anos.


Fonte: estadão

11 de set de 2012

OS INAMORÁVEIS - PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E DIFICULDADE PARA NAMORAR


'Os Inamoráveis' é uma série que retrata ou pelo menos tenta retratar a dificuldade que as pessoas com deficiência enfrentam para namorar.


9 de set de 2012

TERMINA JOGOS PARALÍMPICO DE LONDRES COM O MELHOR RESULTADO DA HISTORIA PARA O BRASIL

O Brasil encerrou a participação nos Jogos Paralímpicos de Londres com o melhor desempenho da sua história, na sétima posição. Os atletas brasileiros conquistaram 21 medalhas de ouro, 14 de prata e 8 de bronze. Uma cerimônia grandiosa marcou o fim da 14ª edição do evento.


QUADROS DE MEDALHAS PARALÍMPICO X OLÍMPICO

Comparação inevitável.

Brasil paralímpico em 7º lugar;
Brasil olímpico em 22º lugar.

6 de set de 2012

VAMOS RECEBER OS ATLETAS PARALÍMPICOS EM SÃO PAULO


05/09/12 19h30

São Paulo prepara recepção calorosa para atletas paralímpicos que chegam de Londres, na próxima terça, dia 11

Os campeões desfilam por São Paulo em carro aberto e ganham recepção festiva e homenagens no Palácio dos Bandeirantes do Governador Alckmin e Secretária Dra. Linamara
Atletas do estado de São Paulo serão homenageados pelo governador Alckmin e Secretária Dra. Linamara
Os atletas paralímpicos da delegação do Estado de São Paulo e do Time São Paulo Paralímpico chegarão ao Brasil na próxima terça-feira, 11 e terão uma recepção no Palácio dos Bandeirantes, na capital, por volta das 10h30, como uma forma de homenageá-los em reconhecimento ao desempenho deles nas Paralimpíadas de Londres.
Com mais de 100 pessoas que representaram o estado de São Paulo nos Jogos Paralímpicos de 2012, os vencedores ganharão medalhas de Mérito Esportivo e certificados. O Governador Geraldo Alckmin, a Secretária de Estado dos Direitos das Pessoas com Deficiência, além do Presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro Brasileiro, Andrew Parsons, participarão da cerimônia de recepção aos vencedores.
Os medalhistas sairão do aeroporto internacional de Guarulhos em um carro aberto do Corpo de Bombeiros de São Paulo e circularão pelas ruas da cidade até desembarcarem no Palácio dos Bandeirantes, onde suas famílias, as autoridades e fãs os aguardam.
A cerimônia será exclusivamente para os atletas que representaram o Estado de São Paulo e o Time São Paulo Paralímpico. Os demais atletas de outros estados seguirão para suas cidades.

SERVIÇO
Recepção ao Atletas paralímpicos do estado de São Paulo participantes das Paralimpíadas de Londres 2012
Data: terça-feira, dia 11/09, às 10h30
Local: Palácio dos Bandeirantes - avenida Morumbi, 4.500, após desfile em carro aberto do Aeroporto Internacional de Guarulhos até o Palácio do Governo.


FONTE SITE DA SECRETARIA DE ESTADO DOS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

3 de set de 2012

PESSOAS COM DEFICIÊNCIA CANDIDATOS A VEREADORES NO ESTADO DE SÃO PAULO



Imagem: Vários logotipos de campanhas de candidatos com deficiência a vereadores no estado de São Paulo

Clique no link e veja a nossa página:

Veja estas postagens.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...