28 de abr de 2012

Grupo Pessoa com Deficiência ultrapassa 2 mil membros.

O Grupo Pessoas com Deficiência do FaceBook ultrapassou 2 mil membros que postam conteúdo 100% relacionado ao universo das pessoas com deficiência.


Se você ainda não é, seja um membro !

27 de abr de 2012

Mostra "Para Todos" no Memorial da Inclusão vai até dia 9 de maio.




A mostra foi inaugurada no dia 23 de abril com abertura simultânea ao Fórum sobre Transportes.
Presidente do Conselho Estadual (CEAPcD), Wanderley Marques de Assis, aprecia a exposição.
Promovida pela Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência da SDH/PR e a Organização dos Estados Ibero Americanos – OEI -, com apoio da Fundação SM - a mostra “Para Todos”, foi concebida a partir do desenho universal e conta com todos os recursos de acessibilidade permitindo a todas as pessoas, sem exceção, o acesso às informações. Está exposta no Memorial da Inclusão - na sede da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo desde o dia 23 de abril. Fica até o dia 9 de maio. As visitas são realizadas durante o horário comercial. 


Por meio de uma linha do tempo os visitantes fazem um passeio pela história da discriminação sofrida e da luta das pessoas com deficiência para terem seus direitos humanos garantidos. De forma lúdica e educativa a exposição mostra como as pessoas com deficiência se organizaram e saíram do anonimato há que foram relegadas por séculos. De que forma elas reivindicaram espaço e deslocaram, a luta pelos seus direitos, do campo da assistência social para o campo dos Direitos Humanos.

O espaço, conteúdo, ação educativa e informação da mostra estão ao alcance de todos os indivíduos, são perceptíveis a todas as formas de comunicação, permitindo a autonomia dos visitantes. Assim, o conteúdo pode ser usufruído independente da condição física, sensorial, intelectual ou capacidade de comunicação dos visitantes por meio de catálogo em braile, recurso de audioguia e audiodescrição, piso tátil e atendimento em Libras.

A mostra iniciou sua itinerância em Porto Alegre (RS), onde, no período de um mês, foi visitada por mais de três mil pessoas. Esteve na Reatech 2012 e, após o Memorial da Inclusão, a mostra vai itinerar por mais oito cidades nos próximos meses: São Bernardo do Campo, Florianópolis, Rio de Janeiro, Brasília, Cuiabá, Rio Branco, Belém e Recife.

O conteúdo dessa exposição se apoiou, entre outras fontes, em pesquisas feitas no material fornecido pela Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência da SDH/PR. Todo esse material serviu para a elaboração das informações que estão apresentadas na forma de textos, vídeos e áudios no espaço expositivo e no catálogo da mostra. A curadoria está a cargo das jornalistas Vera Rotta e Maria José Coelho e o projeto cenográfico foi desenvolvido pelos arquitetos Tiago Balem (coordenação) e Luciano Topim.



SERVIÇO:
MOSTRA
“Para Todos – O Movimento das Pessoas com Deficiência no Brasil” 

Data: de 23 de abril a 9 de maio de 2012, 
Horário: das 9h às 17h, de segunda a sexta-feira
Local: Memorial da Inclusão, na Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência
Endereço: Av. Auro Soares de Moura Andrade, 564 – Portão 10 - Barra Funda - São Paulo (SP)


23 de abr de 2012

Mobilidade da pessoa com deficiência nos transportes públicos é discutida em Fórum

.
Autoridades discutem cartão padrão entre ônibus, metrô e trem, e gratuidade para as pessoas com deficiência.
Secretária Dra. Linamara visita exposição "Para Todos", seguida do presidente da EMTU, Joaquim Lopes.




























A Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência realizou nesta segunda, dia 23, o Fórum Estadual de Mobilidade da Pessoa com Deficiência no Transporte Público sobre Pneus e Trilhos. 

Promovido em parceria com as Secretarias de Estado dos Transportes Metropolitanos e de Desenvolvimento Metropolitano, o Fórum teve o objetivo de estabelecer critério único para gratuidade e o cartão padrão para o acesso das pessoas com deficiência aos transportes públicos nos municípios do Estado de São Paulo.


A Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Dra. Linamara Rizzo Battistella, abriu o evento, que contou com a presença do presidente da EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos), Joaquim Lopes Rodrigues, a coordenadora do Fórum, pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Flavia Maria Vital, e o presidente do Conselho Estadual para Assuntos da Pessoas com Deficiência (CEAPcD), Wanderley Marques de Assis, entre outros. 


Nós estamos discutindo a questão da acessibilidade e ela vai além do direito como garantia de um transporte público acessível de qualidade, ela vai também ao encontro de uma legislação que seja um pouco mais ampla do que o direito do munícipe. O munícipe não mora e estuda e se trata no mesmo município. Ele se transporta para visitar, para ir ao atendimento médico, para trabalhar e para estudar. Portanto, o direito ao transporte vai além do transporte municipal, precisa atingir o transporte intermunicipal, precisa entender e ser entendido o transporte interestadual, e precisamos enfrentar a realidade de um estado brasileiro de dimensões continentais, onde muitas vezes o transporte não atende a necessidade das pessoas”, enfatizou a Secretária de Estado Dra. Linamara Rizzo Battistella.


A Secretária ainda argumenta que o estado de São Paulo tornou-se um exemplo em termos de acessibilidade e expôs dados. “Há 2.531 ônibus e 340 trens, com 64 estações do Metrô acessíveis.”


O Fórum reuniu também representantes das regiões metropolitanas de São Paulo, como Baixada Santista, Campinas, Vale do Paraíba, litoral Norte e do aglomerado urbano de Jundiaí. Após sua abertura as autoridades inauguraram a Exposição “Para Todos”, levada à Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência pelo Governo Federal.


22 de abr de 2012

Crédito Acessibilidade do Banco do Brasil

 BB Crédito Acessibilidade
Em novembro/2011, a Presidenta Dilma Rousseff lançou o Viver sem Limite – Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Por meio de ações estratégicas em educação, saúde, inclusão social e acessibilidade em prol da promoção à cidadania e ao fortalecimento da participação da pessoa com deficiência na sociedade, da sua autonomia, eliminando barreiras e permitindo o acesso e o usufruto, em bases iguais, aos bens e serviços disponíveis a toda a população.
O BB integra as ações de fortalecimento da acessibilidade e elaborou uma linha de crédito para aquisição de produtos de Tecnologia Assistiva, com foco no público com renda até 10 salários mínimos.
A linha BB Crédito Acessibilidade disponibilizada pelo Banco do Brasil, permite que os clientes tenham acesso ao crédito para comprar os equipamentos necessários para o bem estar no dia a dia. Esta modalidade destina-se ao próprio deficiente ou a um terceiro que queira adquirir tais equipamentos para destinar a outra pessoa.

Características 
Linha de crédito destinada ao financiamento de bens e serviços voltados para Pessoas com Deficiência. 

Quem pode contratar
Clientes pessoas físicas, correntistas do Banco do Brasil, com limite de crédito disponível e renda mensal bruta de até 10 salários mínimos.

Valor financiamento mínimo de R$ 70,00 e máximo de R$ 30.000,00

- Taxa de juros: 0,64% ao mês;
- Prazo: 04 a 60 meses;
- Carência: até 59 dias para o vencimento da primeira parcela.

Veja como contratar:
Se você for correntista do Banco do Brasil
Procure uma agência e informe-se a respeito da sua situação cadastral e qual o limite disponível para financiamento. Para isso, leve seus documentos de Identidade, CPF, comprovante de renda e endereço.
De posse dessas informações, solicite uma simulação do financiamento: nº de prestações, valor das prestações etc.

Se você não for correntista do Banco do Brasil
Procure uma agência e informe-se sobre as condições da linha de crédito e saiba como abrir a sua conta corrente. Se for o caso, leve seus documentos de Identidade, CPF, comprovante de renda e endereço.
A abertura da corrente bem como a disponibilização do limite está sujeita a pesquisa cadastral.

Como adquirir o bem
De posse da informação de quanto há de limite de crédito disponível, prestação e prazo, compareça até o estabelecimento comercial, adquira o(s) bem(ns) e/ou serviço(s) constante(s) na lista de produtos ao lado (somente os bens informados na lista poderão ser financiados).

Como contratar a sua operação
Após a aquisição do bem (vide lista de produtos), leve a nota fiscal ou o cupom fiscal até uma agência do BB para a efetivação do financiamento. O crédito será liberado diretamente na sua conta corrente, devendo ficar uma cópia da nota na agência.
Somente serão aceitos documentos fiscais emitidos com prazo máximo de 30 dias.

Garantia
Esta modalidade não exige garantida de bens ou de terceiros.

VEJA A LISTA DOS PRODUTOS QUE PODEM SER FINANCIADO COM O CRÉDITO

Acionadores
Adaptação de Veículo Automotor
Alternativa de Output por Voz
Andadores
Cadeira de Rodas com
Adequação Postural
Cadeiras de Rodas Motorizadas
Leitores com Software OCR
Leitores de Tela
Lupas Eletrônicas de Mesa
Lupas Eletrônicas Portáteis
Mobiliário Acessível
Mouses Alternativos
Cadeiras de Rodas Motorizadas Scanner de Mesa
Computador Portátil Braille
Guincho de Transferência
Impressora Braille
Interfaces Para os Acionadores
Scanner de Mesa
Scanner Leitor Portátil
Software de Comunicação
Alternativa
Teclado Braille
Vocalizadores

Paradesporto, assinatura de convênio e apresentação de livro marcam a Reatech 2012


Estande da Secretaria neste ano teve como tema central o Paradesporto. Com a presença de atletas paralímpicos de renome durante os quatro dias de feira, a Secretaria evidenciou a importância do esporte na vida das pessoas com e sem deficiência

Tênis de mesa foi uma das atrações no estande da Secretaria
A XI Feira Internacional de Tecnologia em Reabilitação e Acessibilidade – Reatech foi encerrada no domingo, 15 de abril, com muita animação. O estande da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, ao lado de outras Secretarias do Governo de São Paulo, apresentou este ano o tema “Paradesporto”.
Durante os quatro dias de evento alguns atletas paralímpicos marcaram presença no estande que contava com estrutura para tênis de mesa, bocha, tatame e uma mini pista de atletismo. Nos quatro dias, os visitantes com e sem deficiência foram desafiados pelos atletas. As pessoas que participaram da gincana ganharam uma caricatura feita na hora pelos artistas da Caricartoon.
Os atletas que participaram da gincana no estande da Secretaria foram: Dirceu José Pinto (Bocha), Daniele Bernardes, Lucia da Silva Teixeira e Antonio Tenório (Judô); Yohansson Nascimento, Alan Fonteles e Odair Ferreira e o Atleta Guia (Atletismo);  Claudia Cícero dos Santos (Remo); Andre Brasil e Carlos Alonso Farremberg (Natação); Bruna Costa Alexandre (Tênis de Mesa); Bruno Landgraf das Neves e Elaine Pedroso da Cunha (Vela) e Fernando Fernandes (Canoagem), além de atletas das Paralimpíadas Escolares.
Sexta-feira, 13 de abril, também aconteceu no estande da Secretaria a apresentação do livro “Cidades Acessíveis”, de Flávia Piva de Almeida Leite. Esta nova obra é uma continuação do seu mestrado e cinco anos foram necessários para construir todo o seu conteúdo. Ela começou sua pesquisa ao perceber que havia a necessidade de eliminar as barreiras arquitetônicas que sempre estiveram presentes na sociedade. Ao desenvolver sua tese, percebeu que esses direitos existiam e as cidades poderiam concretizá-los. “Elas, as cidades, é que estão em primeiro contato com o indivíduo. É nelas onde tudo começa. Se essa cidade for acessível, essa questão vai se expandir”, argumenta.
A Reatech foi marcada com intensa presença da Secretaria de Estado dos Direitos de São Paulo. Um dos pontos significativos da abertura foi a assinatura do Convênio entre a Secretaria e o Comitê Paralímpico Brasileiro, sobre a realização das Paralimpíadas Escolares que acontecem no segundo semestre e reúnem cerca de 2.000 participantes, entre atletas e técnicos, de 27 estados brasileiros. Em 2011 foram 24, e no ano anterior 21.
Copa Brasil de Esgrima
Outro ponto muito significativo na Reatech 2012 foi a Copa Brasil de Esgrima em Cadeira de Rodas, que aconteceu simultaneamente no galpão de esportes da Feira. Mais de 30 atletas dos estados de Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo competiram nas provas de Espada e Florete nas Classes A, B e C.
Além de reunir os melhores esgrimistas do País, a competição é conhecida por revelar novos talentos na modalidade. Nesta edição, nove novos atletas passaram por classificação funcional.
A próxima etapa da Copa Brasil de Esgrima será em julho, também em São Paulo.

20 de abr de 2012

REATECH de dois ângulos .

Eu participei de quase todas as edições da Reatech, teve ano que reuni uma galera e levei para a feira em São Paulo, andava de corredor em corredor conferindo as novidades do mundo das pessoas com deficiência, na hora de se alimentar MEU DEUS será que estou no lugar certo? A comida é um absurdo de cara, a fila do restaurante é enorme e o atendimento por ter muita gente não é dos melhores.
Mas este ano foi diferente, eu não estava nos corredores visitando os stands e me encantando com as novidades ou me indignando com os preços sem noção que as coisas tem na feira, este ano eu fui expositor trabalhando 3 dias pelo Conselho Estadual para Assuntos das Pessoas com Deficiência e vou dizer é bem mais cansativo que simplesmente ir na feira passear, o nosso stand foi um sucesso como ja postei aqui no blog, muito movimentado e as pessoas que deram plantão nele são pessoas maravilhosas que estavam la pela causa.
Em fim foi uma experiencia muito boa ter visto a feira REATECH dos dois ângulos como visitante e como expositor.

Imagem: Crachá do Wanderley na reatech como expositor.

19 de abr de 2012

Fórum sobre gratuidade para transporte público às pessoas com deficiência.


Fórum discute gratuidade para transporte público às pessoas com deficiência, na segunda, dia 23

O evento reúne autoridades e interessados para estabelecer critério único de gratuidade e cartão padrão para to transporte no Estado de São Paulo gratuito em ônibus e trens é o tema do Fórum

Na segunda-feira, dia 23 de abril, das 9h às 18h, acontece o “Fórum Estadual de Mobilidade da Pessoa com Deficiência no Transporte Público sobre Pneus e Trilhos” em São Paulo. O evento é promovido pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência em parceria com as Secretarias de Estado dos Transportes Metropolitanos e de Desenvolvimento Metropolitano. A iniciativa tem o objetivo de estabelecer critério único de gratuidade e cartão padrão para as pessoas com deficiência nos transportes públicos nos municípios do Estado de São Paulo.

O Fórum irá reunir autoridades e representantes das regiões metropolitanas de São Paulo, como Baixada Santista, Campinas, Vale do Paraíba, litoral norte e do aglomerado urbano de Jundiaí.

A entrada é livre a todos os interessados.

Serviço:
“Fórum Estadual de Mobilidade da Pessoa com Deficiência no Transporte Público sobre Pneus e Trilhos”
Local: Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência
Endereço: Av. Auro Soares de Moura Andrade, 564 – Portão 10
Data: 23 de Abril de 2012
Horário: 9h às 18h.
Entrada franca.

Stand do Conselho na Reatech 2012 foi um sucesso.

O Conselho Estadual para Assuntos das Pessoas com Deficiência do Estado de São Paulo foi um verdadeiro sucesso, muitas pessoas passaram pelo local nos  dias da feira onde puderam alem de conhecer o conselho obtendo informações com os conselheiros que estavam atendendo o publico ainda fazer um primeiro contato para posteriormente se aprofundar nas questões relativas ao CEAPcD; no dia 14 o Conselho promoveu uma mesa redonda onde foi colocado em pauta o fortalecimento de conselhos e a relação entre sociedade civil e poder publico que também foi um sucesso com a participação das seguintes autoridades na mesa: Fábio Olanda, representante do FBCE - Fórum Brasileiro de Conselhos Estaduais, Moises Bauer, Presidente do CONADE - Conselho Necional de Direitos das Pessoas com Deficiência, Wanderley Marques de Assis, Presidente do CEAPcD - Conselho para Assuntos das Pessoas com Deficiência-SP, Evangel Vale, Representante dos Conselhos Estaduais no CONADE, Marco Pellegrini, Secretário Adjunto da SDPCD - Secretaria dos Direitos das Pessoas com Deficiencia e a Doutora Linamara Rizzo Battistella, Secretária da SDPCD.



FOTO: Wanderley Marques de Assis (Presidente do CEAPcD) participa da cerimonia de abertura da Reatech 2012.

FOTO: Laissa, Chefe de Gabinete da Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos das Pessoas com Deficiência.

FOTO: Carlos Bossio da Secretaria Municipal da pessoa com deficiência de São Paulo na mesa do Stande com Wanderley, Carlos Botelho, Carlos Bakos, Nalva, Edmar e Dra. Vera.

FOTO: Wanderley conversa em uma mesa com o representante da cidade de Socorro.

FOTO: Dra. Linamara fala no evento da mesa redonda.

FOTO: Wanderley e Prellegrini na frente do Stand

FOTO: Wanderley e Fabio Olanda

FOTO: Wanderley e Tenório

FOTO: Wanderley e Adelino Ozores

FOTO: Davi, que trabalha com esportes na SEDPCD visita o Stand do Conselho e bate um papo com Gorete Cortez (Presidente do Núclao 7) e Wanderley

FOTO: Carlos Bakkos (conselheiro) Dr. Luis Antonio (Vice Prefeito de São José dos Campos), Gerson (Assessor de Politicas para Pessoas com Deficiência de São José dos Campos ) e Wanderley


FOTO: Wanderley e o garotinho Jõao Vitor (nova geração)

FOTO: Maria Gorete Cortez (Presidente do Núcleo 7) ao lado do banner da mesa redonda.

FOTO: Mesa com todos os participantes.

FOTO: Stande com bastante movimentação de pessoas

FOTO: Evangel Vale , Wanderley e Gorete Cortez

FOTO: Visitante preenchendo uma ficha de atendimento.

18 de abr de 2012

Adaptação ou Enganação ?

Estive esta semana hospedado em um hotel em Brasilia que segundo informações que me passaram no balcão eu ficaria em um quarto com banheiro acessível para cadeirante mais quando entrei no quarto fiquei indignado porem não tive escolha já que aquela opção mesmo sendo muito cara ainda era um dos mais baratos.
Não ser acessível já nos deixa loucos mais ser reservado como acessível e quando chegamos nos deparamos com uma puta gambiarra dessa é de matar.
Estou postando a foto do banheiro e mais que isso estou dizendo que esta agressão aos direitos das pessoas com deficiência fica no quarto 110 do Carlton Hotel em Brasilia.


(Fotos: Um vaso sanitário na esquerda e um bide na direita separados por uma barra de apoio totalmente fora das normas da ABNT e sem espaço lateral para encostar a cadeira de rodas)

9 de abr de 2012

Mesa redonda sobre conselhos de direitos das pessoas com deficiência.


CONVITE
MESA REDONDA
“ a importância dos conselhos de direitos das pessoas com deficiência”

O CEAPCD CONVIDA A TODOS PARA PARTICIPAREM DESTE MOMENTO DE REFLEXÃO SOBRE A IMPORTÂNCIA DOS CONSELHOS DE DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E O IMPACTO QUE ELES PODEM E DEVEM CAUSAR NA SOCIEDADE BRASILEIRA

AUTORIDADES DO ASSUNTO ESTARÃO DEBATENDO O TEMA JUNTO COM A PLENÁRIA.

14 DE ABRIL AS 10 HORAS – SALA 9 – REATECH
RODOVIA DOS IMIGRANTES KM. 1,5 – SÃO PAULO – SP – BRASIL


3 de abr de 2012

Senado aprova aposentadoria especial para deficientes no INSS


O projeto vai voltar para nova votação na Câmara.

Brasília - Com cadeirantes e portadores de necessidades especiais no plenário e galerias, o Senado aprovou nesta terça-feira, por unanimidade, substitutivo do senador Lindbergh Farias (PT-RJ) ao projeto de lei que assegura aposentadoria especial a trabalhadores da iniciativa privada portadores de deficiência física. Como sofreu modificações no Senado, o projeto que regulamenta previsão constitucional, de autoria do deputado Eduardo Barbosa (PSDB) e do ex-deputado Leonardo Mattos, volta para nova votação na Câmara.
- Hoje é um dia histórico na luta pelos direitos das pessoas com deficiência. É muito importante essa pauta positiva, que fala da vida das pessoas - discursou Lindbergh, que tem uma filha portadora de Síndrome de Down e vem se dedicando a matérias relativas ao tema.
Pelo substitutivo aprovado, o tempo de contribuição ao INSS exigido para esses trabalhadores será reduzido proporcionalmente ao grau de deficiência. Nos casos de deficiência grave, a redução é de 10 anos, o que garante a aposentadoria integral a partir dos 25 anos de contribuição. Os trabalhadores com deficiências moderadas terão uma redução de seis anos e as pessoas com deficiências leves poderão requerer aposentadoria dois anos antes do tempo exigido para o conjunto dos inscritos no regime geral de previdência.
Se a opção for pela aposentadoria por idade, as pessoas com deficiência poderão requerê-la aos sessenta anos - se homens - ou aos 55, no caso das mulheres, desde que comprovada a contribuição mínima de 15 anos e igual período de deficiência.
O senador Aécio Neves (PSDB-MG), depois de votar a favor do substitutivo, anunciou que irá cobrar do governo o envio de um projeto semelhante, para beneficiar também os servidores públicos portadores de deficiência física.
- O projeto apresentado em 2005 é aprovado em um dos raros consensos nessa Casa. Foi aprovado com atraso, mas é um avanço para os trabalhadores do setor privado portadores de deficiência. Cabe agora ao governo, pois é de sua competência exclusiva, encaminhar projeto que estenda esse benefício também para os servidores públicos - discursou Aécio no encaminhamento da matéria.

Relação Nacional de Medicamentos Essenciais


Ministério da Saúde publica relação de remédios disponibilizados pelo SUS

A lista possui medicamentos necessários ao tratamento de doenças prioritárias na saúde pública

Ministério da Saúde publicou uma portaria que estabelece o elenco de medicamentos e insumos da Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (Rename). 

A lista contempla os medicamentos e insumos disponibilizados no SUS (Sistema Único de Saúde) por meio do Componente Básico da Assistência Farmacêutica, Componente Estratégico da Assistência Farmacêutica, Componente Especializado da Assistência Farmacêutica, além de determinados medicamentos de uso hospitalar.
De acordo com a coordenadora estadual de assistência farmacêutica, Ângela Cristina Cunha Castro Lopes, da Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso do Sul (SES), a Relação Nacional de Medicamentos Essenciais traz um novo conceito de medicamentos essenciais. “Baseados na Rename, Estados e municípios constroem sua própria relação de medicamentos de acordo com as necessidades dos serviços de saúde que são disponibilizados aos usuários do Sistema Único de Saúde em cada município”, explica.
Rename
Na lista, constam os nomes dos princípios ativos dos medicamentos, baseados na Denominação Comum Brasileira (DCB) – denominação do fármaco ou princípio farmacologicamente ativo aprovado pelo órgão federal responsável pela vigilância sanitária.

stes medicamentos possuem um ou mais princípios ativos, registrados na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e que apresentam menor custo nas etapas de armazenamento, distribuição, controle e tratamento. Além disso, todas as fórmulas apresentam valor terapêutico comprovado, com base em evidências clínicas.
A relação possui medicamentos necessários ao tratamento e controle das enfermidades prioritárias em saúde pública nos diversos níveis de atenção à saúde. 


ÍNDICE
ANEXO I  - RELAÇÃO NACIONAL DE  MEDICAMENTOS DO COMPONENTE BÁSICO DA
ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA..... 15
1. ADJUVANTES CIRÚRGICOS.........15
1.1 SUBSTÂNCIAS VISCOELÁSTICAS....15
2. ADRENÉRGICOS INALATÓRIOS..........15
2.1 AGONISTAS SELETIVOS DOS RECEPTORES BETA 2 ADRENÉRGICOS ... 15
3. ADSORVENTES INTESTINAIS ............. 16
3.1 PREPARAÇÕES COM CARVÃO.......... 16
4. AGENTES ANTIADRENÉRGICOS DE AÇÃO PERIFÉRICA........................................... 16
4.1 ANTAGONISTAS DOS RECEPTORES ALFA-ADRENÉRGICOS....... 16
5. AGENTES ANTICOLINÉRGICOS ................................ 16
5.1 AMINAS TERCIÁRIAS.................................................... 16
6. AGENTES ANTINEMATOIDES .................................................. 16
6.1 DERIVADOS DO BENZIMIDAZOL .................................... 16
6.2 AVERMECTINAS ................................................................ 17
7. AGENTES ANTITROMBÓTICOS ..................................... 17
7.1 ANTAGONISTAS DA VITAMINA ........................... 17
7.2 GRUPO DA HEPARINA ..................................... 17
7.3 INIBIDORES DA AGREGAÇÃO PLAQUETÁRIA, EXCLUINDO HEPARINA ............ 17
8. AGENTES BETA BLOQUEADORES .............................. 17
8.1 AGENTES BETA BLOQUEADORES NÃO SELETIVOS .......... 17
8.2 AGENTES BETA BLOQUEADORES .................................... 18
8.3 AGENTES ALFA E BETA ................................. 18
9. AGENTES CONTRA AMEBÍASE E OUTRAS DOENÇAS PROTOZOÁRIAS ........... 18
9.1 DERIVADOS DO NITROIMIDAZOL .......................................... 18
9.2 DERIVADOS DA DICLOROACETAMIDA...................... 18
10. AGENTES DOPAMINÉRGICOS................................................................. 19
10.1 DOPA E DERIVADOS DOPA ............................................................ 192
11. AGENTES POUPADORES DE POTÁSSIO........................................ 19
11.1 ANTAGONISTAS DA ALDOSTERONA .................................................19
12. AGENTES QUE ATUAM NO MÚSCULO LISO ARTERIOLAR.................. 19
12.1 DERIVADOS DA HIDRAZINOFTALAZINA...................................... 19
13. ANESTÉSICOS LOCAIS............................................................................ 19
13.1 AMIDAS ......................................................................................... 19
14. ANFENICÓIS..................................................... 20
14.1 ANFENICÓIS.................................................. 20
15. ANSIOLÍTICOS ................................................................ 20
15.1 DERIVADOS BENZODIAZEPÍNICOS .............................................................. 20
16. ANTAGONISTAS DA ANGIOTENSINA II SIMPLES............................................... 20
16.1 ANTAGONISTAS DA ANGIOTENSINA II SIMPLES................................................ 20
17. ANTIÁCIDOS ........................................................................... 21
17.1 COMPOSTOS DE ALUMÍNIO ................................................................ 21
18. ANTIADRENÉRGICOS DE AÇÃO CENTRAL .............................................................. 21
18.1 METILDOPA ...................................................................... 21
19. ANTIARRÍTIMICOS CLASSES I E III............................................................ 21
19.1 ANTIARRÍTIMICOS CLASSES III ..................................................................... 21
19.2 ANTIARRÍTMICOS CLASSE Ic ........................................................................ 21
20. ANTIBACTERIANOS BETA-LACTÂMICOS, PENICILINAS................................. 22
20.1 PENICILINAS DE AMPLO ESPECTRO.................................................... 22
20.2 PENICILINAS BETA-LACTAMASE SENSÍVEL.......................................................... 22
20.3 COMBINAÇÕES DE PENICILINAS, INCLUINDO INIBIDORES DE BETA-LACTAMASE 22
21. ANTIBACTERIANOS QUINOLÔNICOS..................................................... 22
21.1 FLUOROQUINOLONAS......................................................... 22
22. ANTIDEPRESSIVOS........................................................... 23
22.1 INIBIDORES NÃO SELETIVOS DA RECAPTAÇÃO DE MONOAMINAS............. 23
22.2 INIBIDORES SELETIVOS DA RECAPTAÇÃO DE SEROTONINA..........................23
23. ANTIEMÉTICOS E ANTINAUSEANTES............................................................23
23.1 ANTAGONISTAS DA SEROTONINA................................................................23
24. ANTIEPILÉPTICOS......................................................................... 24
24.1 DERIVADOS DA HIDANTOÍNA....................................................................... 24
24.2 BARBITÚRICOS E DERIVADOS .................................................................... 24
24.3 DERIVADOS DA CARBOXIAMIDA ...........................................................24
24.4 DERIVADOS BENZODIAZEPÍNICOS ............................................. 243
24.5 DERIVADOS DE ÁCIDOS GRAXOS.............................................. 24
25. ANTIFÚNGICOS PARA USO TÓPICO.................................................... 25
25.1 DERIVADOS IMIDAZÓLICOS E TRIAZÓLICOS ....................................25
26. ANTI-HISTAMÍNICOS PARA USO SISTÊMICO ........................................... 25
26.1 ALQUILAMINAS SUBSTITUÍDAS .......................................................... 25
26.2 OUTROS ANTI-HISTAMÍNICOS PARA USO SISTÊMICO...............................25
26.3 DERIVADOS DAS FENOTIAZINAS................................................. 26
27. ANTI-INFECCIOSOS ............................................................................................. 26
27.1 ANTIBIÓTICOS......................................................................................... 26
28. ANTI-INFECCIOSOS E ANTISÉPTICOS, EXCLUINDO ASSOCIAÇÕES COM CORTICOESTERÓIDES 26
28.1 DERIVADOS IMIDAZÓLICOS ........................................................................ 26
29. ANTI-INFECCIOSOS INTESTINAIS ........................................................... 26
29.1 ANTIBIÓTICOS...................................................................................... 26
30. ANTIMALÁRICOS .................................................................................... 27
30.1 DIAMINOPIRIMIDINAS................................................ 27
31. ANTIMICÓTICOS PARA USO SISTÊMICO......................................... 27
31.1 DERIVADOS TRIAZÓLICOS............................................................ 27
32. ANTIPSICÓTICOS..................................................................... 27
32.1 FENOTIAZINAS COM GRUPO DIMETILAMINOPROPIL .......................... 27
32.2 DERIVADOS DA BUTIROFENONA................................... 27
32.3 LÍTIO ................................................................................ 28
33. ANTIPSORIÁTICOS DE USO TÓPICO...................................................... 28
33.1 ALCATRÃO ........................................................................................ 28
34. ANTITREMATOIDES ..................................................... 28
34.1 DERIVADOS DA QUINOLINA E SUBSTÂNCIAS RELACIONADAS ................. 28
35. ANTIVIRAIS DE AÇÃO DIRETA ................................... 28
35.1 NUCLEOSÍDEO E NUCLEOTÍDEO (EXCLUINDO INIBIDORES DA TRANSCRIPTASE REVERSA) . 28
36. BELADONA E DERIVADOS SIMPLES .................................... 28
36.1 ALCALÓIDES DE BELADONA, AMINAS TERCIÁRIAS................................. 28
37. BLOQUEADORES SELETIVOS DOS CANAIS DE CÁLCIO COM EFEITOS PRINCIPALMENTE VASCULARES 29
37.1 DERIVADOS DA DIIDROPIRIDINA..................................... 29
38. BLOQUEADORES SELETIVOS DOS CANAIS DE CÁLCIO COM EFEITOS CARDÍACOS DIRETOS. 29
38.1 DERIVADOS DA FENILALQUILAMINA............................. 29
39. CÁLCIO .......................................................................................... 29
39.1 CÁLCIO......................................................................................................... 294
39.2 CÁLCIO EM COMBINAÇÃO COM VITAMINA D OU OUTROS MEDICAMENTOS ...... 29
40. CONTRACEPTIVOS HORMONAIS PARA USO SISTÊMICO....................... 30
40.1 COMBINAÇÕES FIXAS DE PROGESTÁGENOS E ESTRÓGENOS ............ 30
40.2 PROGESTÁGENOS.................................................................................. 30
40.3 CONTRACEPTIVOS DE EMERGÊNCIA ..................................... 30
41. CORTICOESTEROIDES PARA USO SISTÊMICO SIMPLES ........................ 30
41.1 GLICOCORTICOIDES ..................................................................... 30
42. CORTICOESTEROIDES SIMPLES...................................................................... 31
42.1 CORTICOESTEROIDES FRACOS - GRUPO I...................... 31
42.2 CORTICOESTEROIDES DE POTÊNCIA MODERADA - GRUPO II .............. 31
43. DESCONGESTIONANTES E OUTRAS PREPARAÇÕES NASAIS PARA USO TÓPICO .... 31
43.1 CORTICOESTEROIDES .............................................................................. 31
43.2 OUTRAS PREPARAÇÕES NASAIS ........................................... 32
44. DIURÉTICOS DE ALTA POTÊNCIA................................................................... 32
44.1 SULFONAMIDAS SIMPLES..................................................................... 32
45. DIURÉTICOS DE BAIXA POTÊNCIA ................................. 32
45.1 TIAZIDAS ........................................................................................ 32
46. ECTOPARASITICIDAS, INCLUINDO ESCABICIDAS ....................................... 32
46.1 PIRETRINAS, INCLUINDO COMPOSTOS SINTÉTICOS............................ 32
47. EMOLIENTES E PROTETORES............................................................... 33
47.1 PRODUTOS COM ZINCO ..................................................................................... 33
47.2 PRODUTOS GORDUROSOS E PARAFINA............................. 33
47.3 PREPARAÇÕES COM ÁCIDO SALICÍLICO............................................. 33
48. ESTIMULANTES CARDÍACOS, EXCLUINDO GLICOSÍDEOS CARDÍACOS ...... 33
48.1 AGENTES ADRENÉRGICOS E DOPAMINÉRGICOS ..................... 33
49. ESTROGÊNIOS................................................................................................ 33
49.1 ESTROGÊNIOS SEMI-SINTÉTICOS E NATURAIS SIMPLES............................. 33
50. GLICOSÍDEOS CARDÍACOS..................................................................... 34
50.1 GLICOSÍDEOS DIGITÁLICOS......................................................................... 34
51. HIPNÓTICOS E SEDATIVOS.............................................................. 34
51.1 DERIVADOS BENZODIAZEPÍNICOS .............................. 34
52. HIPOLIPEMIANTES SIMPLES.......................................................... 34
52.1 INIBIDORES DA HMG CoA REDUTASE................................................................ 34
53. INIBIDORES DA ENZIMA CONVERSORA DE ANGIOTENSINA, SIMPLES.......... 34
53.1 INIBIDORES DA ENZIMA CONVERSORA DE ANGIOTENSINA, SIMPLES ........ 345
54. INSULINAS E ANÁLOGOS ........................................................... 35
54.1 INSULINAS E ANÁLOGOS INJETÁVEIS, AÇÃO INTERMEDIÁRIA ................ 35
54.2 INSULINAS E ANÁLOGOS INJETÁVEIS, AÇÃO RÁPIDA......................... 35
55. LAXATIVOS .......................................................................................... 35
55.1 ENEMA............................................................................................................... 35
55.2 OUTROS LAXATIVOS ........................................................................... 35
55.3 LAXATIVOS DE AÇÃO OSMÓTICA ........................................................... 35
56. MACROLÍDEOS, LINCOSAMIDAS E ESTREPTOGRAMINAS.......................... 36
56.1 MACROLÍDEOS.......................................................................................... 36
56.2 LINCOSAMIDAS.................................................................................................. 36
57. MEDICAMENTOS HIPOGLICEMIANTES, EXCLUINDO INSULINAS...................... 36
57.1 BIGUANIDAS .................................................................................................... 36
57.2 DERIVADOS DA URÉIA, SULFONAMIDAS .......................................... 36
58. MEDICAMENTOS PARA ÚLCERA PÉPTICA E DOENÇA DO REFLUXO GASTRO ESOFÁGICO .. 37
58.1 ANTAGONISTAS DE RECEPTOR H2...................................................... 37
58.2 INIBIDORES DA BOMBA DE PRÓTONS......................................................... 37
59. MEDICAMENTOS QUE AFETAM A ESTRUTURA E A MINERALIZAÇÃO ÓSSEA........... 37
59.1 BISFOSFONADOS ....................................................................................................... 37
60. MEDICAMENTOS USADOS NA HIPERTROFIA BENIGNA DA PRÓSTATA................. 37
60.1 INIBIDORES DE TESTOSTERONA 5-ALFA-REDUTASE................................... 37
61. OCITÓCICOS....................................................................................................... 38
61.1 PROSTAGLANDINAS............................................................................................ 38
62. OUTRAS PREPARAÇÕES DE VITAMINA SIMPLES ..................................................... 38
62.1 OUTRAS PREPARAÇÕES DE VITAMINA SIMPLES .................................... 38
63. OUTRAS PREPARAÇÕES DERMATOLÓGICAS ........................................ 38
63.1 PREPARAÇÕES ANTIVERRUGA E ANTICALOSIDADE ....................... 38
64. OUTROS ANALGÉSICOS E ANTIPIRÉTICOS .............................................. 38
64.1 ÁCIDO SALICÍLICO E DERIVADOS ................................................ 38
64.2 PIRAZOLONAS............................................................................................. 38
64.3 ANILIDAS................................................................................. 39
65. OUTROS ANTIBACTERIANOS................................................................ 39
65.1 DERIVADOS DO NITROFURANO........................................................... 39
66. OUTROS ANTIBACTERIANOS BETA-LACTÂMICOS....................... 39
66.1 CEFALOSPORINAS DE PRIMEIRA GERAÇÃO.............................. 39
66.2 CEFALOSPORINAS DE TERCEIRA GERAÇÃO .......................... 396
67. OUTRAS PREPARAÇÕES GINECOLÓGICAS ................................. 40
67.1 INIBIDORES DA PROLACTINA............................................................... 40
68. OUTROS MEDICAMENTOS INALATÓRIOS PARA DOENÇAS RESPIRATÓRIAS OBSTRUTIVAS................ 40
68.1 GLICOCORTICOIDES ......................................... 40
68.2 ANTICOLINÉRGICOS............................................................... 40
69. OUTROS NUTRIENTES........................................................................... 40
69.1 COMBINAÇÕES DE CARBOIDRATOS, PROTEÍNAS, MINERAIS E VITAMINAS........ 40
70. OUTROS SUPLEMENTOS MINERAIS .................................................. 41
70.1 ZINCO.......................................................................................................... 41
71. PREPARAÇÕES ANTIACNEICAS PARA USO TÓPICO............... 41
71.1 PERÓXIDOS ........................................................................................................... 41
72. PREPARAÇÕES ANTIGLAUCOMA E MIÓTICOS................................... 41
72.1 PARASSIMPATICOMIMÉTICOS.................................................................... 41
72.2 INIBIDORES DA ANIDRASE CARBÔNICA......................................... 41
72.3 AGENTES BETA BLOQUEADORES............................................................ 41
73. PREPARAÇÕES ANTIGOTOSAS ......................................................... 42
73.1 INIBIDORES DA PRODUÇÃO DE ÁCIDO ÚRICO..................... 42
74. PREPARAÇÕES ANTITIREOIDEANAS ............................... 42
74.1 TIOURACILAS ............................................................................ 42
75. PREPARAÇÕES COM FERRO........................................................... 42
75.1 FERRO BIVALENTE, PREPARAÇÕES ORAIS ................................ 42
76. PREPARAÇÕES ESTOMATOLÓGICAS ...................................... 42
76.1 ANTI-INFECCIOSOS E ANTISSÉPTICOS PARA TRATAMENTO ORAL LOCAL ..... 42
77. PREPARAÇÕES PARA TIREOIDE............................ 43
77.1 HORMÔNIOS TIREOIDEANOS ......................................... 43
78. PRODUTOS ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAIS E ANTIRREUMÁTICOS ...... 43
78.1 DERIVADOS DO ÁCIDO PROPIÔNICO........................... 43
79. PROPULSIVOS............................................................... 43
79.1 PROPULSIVOS ........................................................................... 43
80. QUIMIOTERÁPICOS PARA USO TÓPICO ....................................... 43
80.1 ANTIVIRAIS ......................................................... 43
80.2 SULFONAMIDAS ........................................................ 44
81. SULFONAMIDAS E TRIMETOPRIMAS ........................... 44
81.1 SULFONAMIDAS DE AÇÃO INTERMEDIÁRIA........................................... 44
81.2 COMBINAÇÕES DE SULFONAMIDAS E TRIMETOPRIMAS E DERIVADOS ....... 447
82. SOLUÇÕES ADITIVAS INTRAVENOSAS.............................................44
82.1 SOLUÇÕES ELETROLÍTICAS...................................................................... 44
83. TODOS OUTROS PRODUTOS TERAPÊUTICOS .............................. 44
83.1 AGENTES DESITOXICANTES PARA TRATAMENTO CITOSTÁTICO ............ 44
83.2 ANTÍDOTOS ................................................................... 45
84. VASODILATADORES USADOS EM DOENÇAS CARDÍACAS ................... 45
84.1 NITRATOS ORGÂNICOS...................................................................... 45
85. VITAMINA A E D, INCLUINDO COMBINAÇÃO DAS DUAS...................... 45
85.1 VITAMINA A SIMPLES ................................................................................. 45
86. VITAMINA B1 SIMPLES E EM ASSOCIAÇÃO A VITAMINA B6 E B12 .......... 45
86.1 VITAMINA B1 SIMPLES .......................................................................... 45
87. VITAMINA B12 E ÁCIDO FÓLICO .................................................. 46
87.1 ÁCIDO FÓLICO E DERIVADOS........................................................... 46
87.2 VITAMINA B12 (CIANOCOBALAMINA E ANÁLOGOS) ....................... 46
88. FITOTERÁPICOS ................................................................................... 46
88.1 FITOTERÁPICOS ........................................................................... 46
89. MEDICAMENTOS HOMEOPÁTICOS CONFORME FARMACOPEIA HOMEOPÁTICA 3ª EDIÇÃO.. 47

Veja estas postagens.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...