27 de jun de 2011

VAGAS DE EMPREGO PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

Empresa: RH Internacional
Endereço: Av Rio Branco, 177 / 2º Andar - Centro - Rio de Janeiro
Número de vagas: 15
Tipo de vagas: Operador de Telemarketing
Responsável pelo preenchimento do formulário: Suellen Teixeira da Silva
E-mail do responsável pelo preenchimento: suellenteixeira@rhi.com.br
Site: www.rhi.com.br

26 de jun de 2011

Vamu Kikão, vamu Kikão, vamu ser campeão.

_ Vamu Kikão, vamu Kikão, vamu ser campeão..., esse foi o grito de alguém que estava na torcida e que me fez lembra o quanto valeu a pena lutar para que o São José dos Campos tivesse um time de basquete em cadeira de rodas, jogamos contra Indaiatuba e foi um jogo diferente de tudo que já vivemos, não sei se era o fato de estarmos jogando em nossa cidade mais percebi uma diferença muito grande em relação aos outros 4 jogos que passamos neste campeonato paulista de basquete em cadeira de rodas.
Para mim foi a realização de um sonho, jogar um jogo oficial na minha cidade e com toda a minha família torcendo por mim, poxa eu queria agradecer a cada um, pegar na mão de cada pessoa que torceram para nós.
É muito emocionante pra mim saber que tem pessoas que torcem para o nosso sucesso e até gritam:  _ Vamu Kikão, vamu Kikão, vamu ser campeão..., rsrsrs Kikão eu imagino que seja o aumentativo do apelido de um dos nossos jogadores mais aquele grito foi como se tivesse sido pra mim porque somos uma equipe.
Valeu galera...

25 de jun de 2011

ASES JOGA EM CASA

ASES, time de basquete em cadeira de rodas de São José dos Campos enfrenta neste domingo (26 de junho) a equipe GAADIN no SESC que fica na av. Adhemar de Barros, 999, Jardim São Dimas, São José dos Campos - SP.
O jogo terá inicio as 14 horas mais quem quiser assistir deve chegar antes pra garantir lugar porque o espaço vai ficar pequeno. VEJA MAIS

20 de jun de 2011

Cadeirante 'supera' elite, faz 42 km em menos de 2h, mas evita comparar

Vencedor da modalidade em São Paulo, Fernando Aranha impressiona rivais

Por Lucas Loos São Paulo
“Não deu. O Aranha é fera. Ele é muito bom”. Foi assim que Ryan Augusto se conformou com a segunda colocação na prova para cadeirantes da Maratona de São Paulo, referindo-se ao grande campeão da categoria. Após 42 quilômetros percorridos pelas ruas da capital paulista, neste domingo, ele terminou a prova em 3h10m19s. Fernando Aranha, o campeão, completou o mesmo trajeto em 1h55m06s.
Aranha maratona são paulo (Foto: Lucas Loos/Globoesporte.com)Aranha levanta o troféu conquistado na Maratona de São Paulo (Foto: Lucas Loos/Globoesporte.com)
- Nunca tinha feito este tempo. Minha melhor marca até então foi de 02h05m há dez anos. Esta melhora foi por conta dos meus treinos no triatlo que tenho feito. Eu não esperava um tempo tão bom. Pensava em fazer acima de 02h03m - festejou Aranha.
O tempo do cadeirante campeão é inferior ao recorde da prova para pedestres, estabelecido por Vanderlei Cordeiro de Lima em 2002: 2h11m53. Aranha, no entanto, prefere não comparar o resultado com os da elite do esporte.
- Fui mais rápido porque as rodas andam com a inércia. É difícil comparar as duas categorias. Se cansar e soltar a cadeira no plano, ela vai andar sozinha. Se estiver uma fadiga correndo em pé, tem que parar. Apesar de ser muito difícil na subida, a descida é muito mais fácil.
Vítima de paralisia infantil, Fernando Aranha cresceu num colégio interno e começou no atletismo paraolímpico há 12 anos, após iniciar sua vida esportiva no basquete sobre cadeira de rodas. A estreia na corrida foi um sucesso. Venceu a São Silvestre de 1999 logo em sua primeira prova e viu que era esse era o seu esporte. O divisor de águas, porém, foi mais por uma necessidade.
- Igual à maioria dos deficientes, comecei no basquete de cadeira de rodas. Mas houve um momento em que tive que parar com o esporte coletivo para estudar e trabalhar. Hoje, não sou profissional, sou só um entusiasta – acrescenta Aranha, que sonha defender o Brasil nas paraolimpíadas de 2016.
Por pouco, Ryan, o segundo colocado neste domingo, não teve o caminho mais fácil para ser campeão logo em sua primeira maratona. Aranha só decidiu competir em cima da hora, para promover o esporte de deficientes.
A terceira colocação ficou com um corredor com sobrenome de ídolo. Com a meta de disputar as Paraolimpíadas, Josimar Senna da Silva, que também fez sua estreia neste tipo de prova, descreveu a dificuldade de percorrer um trajeto deste tipo só com os braços.
- Foi cruel. Ainda bem que consegui chegar. Você faz força, faz força e nunca chega. Mas o pessoal dá apoio e ajuda. A subida é cruel e tem que ter braço. Na descida, alivia um pouco - disse Josimar, que completou os 42 quilômetros em 3h57m49s.

FILMES COM DEFICIÊNCIA FÍSICA

FILMES COM DEFICIÊNCIA FÍSICA

AALTRA

A FORÇA DE UM CAMPEÃO

A HISTÓRIA DE BROOKE ALLISON

ALGUÉM PARA AMAR

A LUTA DE DENNIS BYRD

AMARGO REGRESSO

BODY OF WAR

CARNE TRÊMULA

CONVERSANDO COM DEUS

DAWN ANNA

DE PORTA EM PORTA
ETERNO AMOR
ESPÍRITOS INDÔMITOS

FELIZ ANO VELHO

FLORES DO AMANHÃ

FRIDA

GABY- UMA HISTÓRIA VERDADEIRA

HEIDI

HILARY E JACKIE

HOMENS DE HONRA

KING GIMP

JOHNY VAI À GUERRA

JONI

LIVRE PARA VOAR

LUA DE FEL

MAR ADENTRO

MENINA DE OURO


MEU PÉ ESQUERDO


Muito tarde para o amanhã


Murderball- paixão e glória

Na pontas dos pés

Nascido em 4 de julho


Ninguém é perfeito


O ALEIJADINHO

O Beijo Amargo

O Colecionador de Ossos

O Corcunda de Notre Dame

O Despertar para a Vida

O Encantador de Cavalos

O Escafandro e a Borboleta

O Ex-Namorado da Minha Mulher

O Franco Atirador

O Jardim Secreto

Ondas do Destino

O Povo Contra Larry Flynt

Os Melhores Anos de Nossas Vidas

Os Melhores Dias de Nossas Vidas

Pequeno milagre

QUID PRO QUO

Rajadas de Fogo

Sempre Amigos

Também os anões começaram pequenos

Terra da Alma

Tudo pela Vida

Uma Janela para o Céu I

Uma Janela para o Céu II

Warm Springs

Wind Dancer – a força danatureza


Veja outros filmes em: www.pessoacomdeficiencia.com

16 de jun de 2011

Sonho de consumo handbike.

Hoje antes do treino de basquete dei uma voltinha em uma hand que o Evandro e o Dinho da Handvikn levaram para que eu pudesse experimentar, meu, não consigo descrever a sensação só sei dizer que deu vontade de sair na rua com aquela bike e sentir o vento na cara.
Eu já tinha andado em uma outra hand do Evandro VÍDEO mais a de hoje era muito mais leve e gostosa de andar, a primeira vez fiquei apaixonado e morrendo de vontade de poder adquirir uma e agora de novo, o pouquinho que eu andei foi fantasticamente gostoso e prazeroso, bom, eu ainda não posso ter uma mais se você que esta lendo puder acredite VALE A PENA É MUITO BOM.
Segue o link da fábrica destas hands que fica aqui em São José dos Campos mais que já estão vendendo pra todo o Brasil. www.handvikn.com.br





Valeu meus amigos pela experiência mesmo que rapidinho.

3 de jun de 2011

BPC - Mudanças Urgentes

Luiz Lindberg Farias é presidente da Subcomissão Permanente de Assuntos Sociais das Pessoas com DeficiênciaDe acordo com o senador Luiz Lindberg Farias, presidente da Subcomissão Permanente de Assuntos Sociais das Pessoas com Deficiência do Senado, mudar o funcionamento do Benefício de Prestação Continuada da Assistência  Social (BPC) é fundamental para continuar avançando na inclusão de pessoas com deficiência no mercado formal.
Assegurado por lei, o benefício é pago pelo governo federal e garante uma renda mínima a idosos e pessoas com deficiência. Têm direito a receber o benefício as pessoas com deficiência cuja renda familiar per capita é inferior a um quarto de salário mínimo. O valor pago a cada uma dessas pessoas é de um salário mínimo.


No entanto, se a pessoa começa a trabalhar o benefício é suspenso. "Tem muita família que mantém uma pessoa com deficiência em casa com medo que perca o BPC e depois o emprego. Isso não ajuda. A pessoa deveria poder conseguir um emprego e não perder o benefício", afirma Lindberg.
Segundo ele, a conversa com o Ministério da Previdência para modificar as regras do BPC está em andamento. O senador também afirmou que o órgão tem mostrado abertura para o diálogo e disposição de buscar regras que respondam às necessidades da sociedade hoje.
Lindberg defende que a pessoa que recebe o BPC deverá acumulá-lo com o salário caso consiga se colocar no mercado de trabalho. "Estamos falando de pessoas que ainda vivem em situação de pobreza", disse. Para ele, garantir os direitos desse grupo, tanto em questões relativas a mercado de trabalho quanto aos demais aspectos da vida, é fundamental para o cumprimento da convenção da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência.
De acordo com ele, esse será o principal assunto a ser tratado pela Subcomissão Permanente de Assuntos Sociais das Pessoas com Deficiência. O tratado internacional foi adotado pela ONU em 2006 e ratificado pelo Congresso brasileiro, em 2008. O senador sugeriu que comissão de juristas auxilie a subcomissão na regulamentação do tratado. "Mas, além de novas regulamentações, é preciso fazer com que a legislação atual seja cumprida, defendeu.

Veja estas postagens.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...